Os Bio-St.-Josephs são compostos de leveduras previamente cultivadas de determinadas plantas, plasmolisadas com mel ou levulose, adicionadas de frutas, fibras e plantas aromáticas.

Estimulam e modulam determinadas funções do organismo, auxiliando os processos de homeostase. Oferecem resultados rápidos e satisfatórios, e são totalmente isentos de contra-indicações ou efeitos colaterais.

Os diversos tipos de Bio-St.-Joseph são associáveis entre si e complementam-se perfeitamente com os concentrados PIANTO; as enzimas e coenzimas das leveduras são ativadas pelo Mg contido no PIANTO; por sua vez, o Mg presente no PIANTO é fixado pela vitamina B6, abundante nas leveduras. A associação PIANTO-BIO-ST.-JOSEPH constitui uma complementação de efeito sinérgico, onde cada tipo de Bio-St.-Joseph catalisa diferentemente o potencial nutricional do PIANTO.

 

A levedura é um microrganismo que contém em si mesmo todo tipo de nutrientes úteis ao organismo. Seu especial valor nutritivo é conhecido desde os princípios do século XX. Sua riqueza nutricional compreende o “BIOS” das leveduras: enzimas, seu sistema de defesa, proteínas, minerais, oligoelementos, complexo vitamínico B, ácido fólico, L-carnitina, P-flavonas, biotinas, inositol e vitamina C.

Esses microorganismos têm a capacidade de proliferar de forma assombrosamente rápida, em determinadas condições. As leveduras nutridas com plantas absorvem os princípios ativos destas, concentram-nos e os pré-assimilam. Cada biotônico contém mais de cinqüenta plantas das quais outro tanto de fermentos específicos se nutrem e concentram seus elementos farmacodinâmicos.

As diversas variedades de Bio-St.-Joseph são obtidas pelo cultivo das leveduras em diferentes substratos de plantas que conferem a cada uma potenciais catalíticos, nutricionais e ativos específicos. Dessa forma, cada tipo age sobre o metabolismo de forma precisa, focalizando sua ação num determinado sistema e estimulando principalmente alguma das diversas funções do organismo. Ingerindo essas leveduras especiais, o homem beneficia-se não somente do "bios" integral desses levedos, mas também dos princípios das plantas que entram em simbiose com as leveduras para formar um “bios” privilegiado com um poder sinérgico aumentando. O poder energético desse “bios” é efetivamente superior à simples adição de todos esses componentes. A técnica é eficaz porque a concentração dos produtos ativos passa dos 80% e a análise por cromatografia em fase gasosa demonstra que uma colher das de chá desse plasmolisado corresponde à atividade de 5 litros de chá.

Toda a riqueza nutricional inerente à levedura manifesta-se plenamente quando ela está viva. Porém, quando ingerida nesse estado, é suscetível de proliferar no organismo, parasitando-o e causando avitaminose B.

Para evitar esse risco, tradicionalmente a levedura é morta por elevação de temperatura, o que, inevitavelmente, comporta a perda de grande parte de suas qualidades e vitaminas.

A Plasmólise é um processo realizado a baixa temperatura, que rompe a membrana plasmática das células da levedura, impedindo assim sua reprodução. Este processo, por não comportar elevação de temperatura, conserva toda a riqueza nutricional. A plasmólise, pois, torna a levedura inativa, impedindo sua proliferação no meio intestinal, porém conservando todos os elementos nutritivos e os “bios” naturais das leveduras.

No processo de plasmólise, os tipos terminados em “/L” ou “Lev” são plasmolisados com levulose (frutose), o que possibilita seu uso em diabéticos.

Todos os outros tipos são plasmolisados com méis de diferentes floradas, porém no seu extrato mais elevado, ou seja, livres das impurezas comuns dos méis.

Todos os tipos de Bio-St.-Joseph possuem sabores deliciosos, próprios dos méis, dos extratos de frutas e da levulose que contém.  São tomados puros, sem diluir, bem insalivados, pois as enzimas neles contidas começam a serem ativadas no contato com a saliva. Podem ser tomados antes, durante ou depois das refeições, na seguinte dosagem:

  • Normal                     3 colheres de chá, sobremesa ou sopa por dia
  • Forte                        1 colher de sobremesa para cada 10 kg de peso por dia
  • Intensiva                   Duplicar ou triplicar a dosagem Forte

 

DIABÉTICOS

Devem tomar os terminados em “/L” ou “Lev” (com levulose), puros, insalivando bastante. No caso dos diabéticos ou pré-diabéticos é melhor tomar durante ou após as refeições, na seguinte dosagem:

  • Começar com 1 colher de chá às 3 refeições e aumentar em função do controle da glicemia até 6 colheres de chá por dia.

CRIANÇAS

Os Bio-St.-Joseph são excelentes para as crianças. Estimulam um crescimento equilibrado, auxiliam o desenvolvimento do sistema imunológico, sem suplantá-lo, sendo extraordinários nessa fase pela especial qualidade de suas proteínas, bem como pelo complexo B. As crianças se acalmam, crescem, têm maior aproveitamento escolar, não sucumbem às viroses, respiram e dormem melhor, pois suas rinites se aliviam quando não desaparecem.

Normalmente as crianças não têm dificuldades para ingerir o Bio-St.-Joseph, pois os méis e os extratos de frutas que ele contém dão um sabor delicioso e agradável. Mas, se for necessário, pode-se também misturá-lo no iogurte, mingau, ou espalhar sobre pão.

Considerando que em estudos farmacotoxicológicos realizados com células in vitro não foi detectada citotoxicidade mesmo em altíssima dose, não deve haver preocupação excessiva quanto à dosagem. A que segue dará ótimo resultado em cada caso.

  • Até 2 anos, 3 colheres de café (2 ml) por dia.
    Em caso de crises, 1 colher de café a cada hora ou a cada 30 minutos.
  • De 2 a 5 anos, 3 colheres de chá (5 ml) por dia.
    Em caso de crises, 1 colher de chá a cada hora ou a cada 30 minutos.
  • De 5 a 15 anos, 3 colheres de sobremesa (10 ml) por dia.
    Em caso de crises, 1 colher de sobremesa a cada hora ou a cada 30 minutos
    .

 

OLIGOELEMENTOS E MINERAIS (mg  x 100 g )

 

Cobre

Manganês

Magnésio

Ferro

Potássio

Sódio

Zinco

Selênio

 

B/I

0,029

0,070

16,00

0,800

300,0

16,10

 

 

 

D/E

--------

0,270

17,00

0,300

291,0

-------

 

 

 

D/I

0,031

0,105

19,40

0,650

268,0

08,30

 

 

 

 

F/A

0,022

0,090

20,0

0,620

262,0

20,30

Aprox.

Traças

 

I/S

0,023

0,170

24,6

0,870

349,0

10,20

2,7

em

 

R/U

0,038

0,105

7,4

0,880

265,0

16,80

para

todas

 

S/A

0,027

0,090

18,0

0,450

251,0

25,00

todas

 

T/X

--------

0,130

20,00

0,350

308,0

-------

 

 

 

U/R

0,026

0,085

17,5

0,460

248,0

18,00

 

 

 

V/I

0,018

0,080

19,0

0,280

254,0

24,80

 

 

 

                     

AMINOÁCIDOS % (valores médios)

Ácido Aspártico

0,440

g

 

Metionina

0,063

g

Treonina

0,180

g

 

Isoleucina

0,220

g

Serina

0,200

g

 

Leucina

0,320

g

Ácido Glutâmico

0,550

g

 

Tirosina

0,140

g

Prolina

0,160

g

 

Fenilalanina

0,210

g

Glicina

0,210

g

 

Lisina

0,240

g

Alanina

0,240

g

 

Histidina

0,095

g

Cistina

0,049

g

 

Arginina

0,210

g

Valina

0,250

g

 

Triptófano

0,032

g

 

VITAMINAS mg  x 100g

B-1 (1,8 a 10), B-2 (4,3 a 7,5), PP (Nicotinamida), B-4, B-5, B-6 (6,8 a 7,3), Ácido Fólico, Colina, Inositol, P-Flavonas, Biotinas-H, B-14, B-15, C (215 a 400), L-Carnitina (0,3 a 1,1), A e F (traças)....

COMPOSIÇÃO NUTRICIONAL g %

 

B/I

BI/L

D/E

D/I

DI/L

F/A

FA/L

I/S

IS/L

Proteínas

 6,0

6,1

5,6

6,1

5,9

5,7

5,7

5,6

5,7

Lipídios

0,8

0,7

0,5

0,8

0,6

0,7

0,7

0,7

0,7

Glicídios

70,7

70,0

71,6

72,3

71,4

72,9

72,6

72,6

71,7

Minerais

0,7

0,8

0,8

0,7

0,8

0,8

0,8

0,8

0,8

Kcalorias

314,0

313,5

331,3

320,8

314,6

318,6

314,7

319,1

315,9

 

 

R/U

S/A

SA/L

T/X

TX/L

U/R

V/I

Todah´

Tov

Proteínas

6,0

5,6

6,0

5,5

5,6

5,9

5,9

4,8

3,8

Lipídios

0,7

0,7

0,6

0,6

0,7

0,8

0,1

1,4

0,3

Glicídios

70,1

73,0

73,7

69,4

71,1

71,7

72,`7

59,5

70,9

Minerais

0,7

0,8

0,8

0,8

0,8

0,7

0,8

-----

-----

KCalorias

310,7

320,7

314,6

322,2

306,0

315,2

315,3

270,0

302,9

Facebook cONTATE-NOS iNFORMAÇÕES ADICIONAIS Homepage Voltar